Na disputa das creches, quem ganha é a população carente

Governadora Raquel Lyra anuncia a construção de 51 creches Foto: Ricardo Stuckert

Uma disputa interessante vem sendo travada entre os dois possíveis adversários nas eleições para o Governo em 2026. Nesta quinta-feira (16), a governadora Raquel Lyra lança licitação para construção de 51 novas creches e pré-escolas em Pernambuco. Nos últimos dias, o prefeito do Recife João Campos tem investido forte na propaganda em que o foco são as creches. Bom para a população carente, que não tá nem aí para a disputa mais adiante, mas será beneficiada com mais oferta de vagas.

Durante a sua gestão em Caruaru e na campanha de 2022, a então candidata Raquel Lyra usou boa parte do seu tempo no horário eleitoral e nos debates e entrevistas para destacar o trabalho que já havia feito e o que faria caso fosse eleita governadora.

Novas creches

Com um investimento de R$ 275 milhões, a governadora anunciará na tarde desta quinta-feira (16), a construção de 51 novos Centros de Educação Infantil (CEIs) em Pernambuco. A proposta faz parte do Programa Juntos pela Educação e vai beneficiar crianças de 0 a 5 anos por meio de convênios entre o Governo do Estado e os municípios.

Há uma semana, o prefeito João Campos aproveitou a passagem do ministro da Educação, Camilo Santana, para anunciar que mais que dobrou o número de vagas no município do Recife. Lembrou que desde a primeira vaga em creche municipal, no início dos anos 80, Recife havia somado 6.439 vagas.

Crechebilidade e mainha

Da sua posse para cá, afirma o gestor, foram criadas 7.568, totalizando 14.007 vagas na capital pernambucana. Para destacar o feito, a comunicação da prefeitura criou até um neologismo: “crechebilidade”, que seria uma “ajuda a transformar a vida dos pequenos e suas famílias”. E cita uma série de benefícios, como cinco refeições por dia e farda lavada no equipamento.

“(Crechebilidade) é ter a farda lavada na creche para ajudar mainha”, cita a peça. O fato curioso é que, em 2020, durante a campanha à reeleição em Caruaru, a militância de Raquel Lyra lançou o termo “mainha” para se referir à candidata. Desde então, “mainha” virou uma espécie de marca de Raquel. Para o bem ou usada de forma jocosa pelos adversários.

Veja também:

Ipojuca é contemplada com nova creche pelo Estado

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp