Silvio Costa Filho apresenta malha aérea emergencial com 116 voos para o Rio Grande do Sul

Ministro Silvio Costa Filho detalhou o plano emergencial para ajudar o Rio Grande do Sul

Governo Federal, por meio do Ministério de Portos e Aeroportos, anunciou a malha aérea emergencial para atender a população do Rio Grande do Sul afetada pelas fortes chuvas que assolam a região. O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, detalhou as ações da pasta em entrevista coletiva.

Após um amplo debate envolvendo a Casa Civil, Ministério da Defesa, Infraero, Anac, Fraport, Abear, ABR e as companhias aéreas, a população contará com até 116 voos semanais nesta primeira fase do plano de aviação emergencial na região, sendo 88 no Rio Grande do Sul e 28 em Santa Catarina.

Silvio Filho destaca primeira fase do plano

O ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, reforçou que tais medidas fazem parte da primeira fase do plano de aviação emergencial. 

“Nós vamos avançar na aviação regional. Naturalmente, conforme a demanda da população, a gente vai ampliando o número de voos regionais, para que a sociedade brasileira, sobretudo o povo do Sul, possa ter acesso aos voos que são tão importantes para o estado. É um desafio grande, mas o trabalho conjunto do governo do presidente Lula tem sido fundamental para a gente ajudar o Brasil”, finalizou o ministro Silvio Filho.

Segundo o ministro Silvio Filho, dos 12 aeroportos existentes hoje no Estado, seis terminais aeroportuários farão parte do plano, além da Base Aérea de Canoas. Neste primeiro momento, serão 53 voos semanais operando nos aeroportos de Caxias do Sul, Santo Ângelo, Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria e Uruguaiana. Além disso, os aeroportos de Florianópolis, Chapecó e Jaguaruna também farão parte do plano para apoio à população.

Já a Base Aérea de Canoas passará a contar com até 5 voos diários, contabilizando 35 voos semanais. Em articulação com o poder público, as operações na Base se iniciarão assim que a concessionária Fraport estruturar a logística mínima necessária para receber os passageiros, atendendo os requisitos mínimos operacionais e de segurança.

Além disso, a Base Aérea continuará como o principal hub da logística de cargas para receber as doações a serem distribuídas para a população atingida pelas fortes chuvas.

Como parte do grande esforço emergencial, a base aérea de Canoas recebeu cinco voos de companhias aéreas com cargas de mantimentos entre ontem e hoje, contabilizando cerca de 50 toneladas de doações. Importante destacar que a Infraero está apoiando as operações dos aeroportos do Estado do Rio Grande do Sul.

Confira a malha aéreo emergencial

  • Aeroporto de Caixas do Sul | 25 voos semanais
  • Aeroporto de Santo Ângelo | 2 voos semanais
  • Aeroporto de Passo Fundo | 16 voos semanais
  • Aeroporto de Pelotas | 5 voos semanais
  • Aeroporto de Santa Maria | 2 voos semanais
  • Aeroporto de Uruguaiana | 3 voos semanais
  • Base aérea de Canoas | 35 voos semanais
  • Aeroporto de Florianópolis | 21 voos semanais
  • Aeroporto de Jaguaruna | 7 voos semanais
  • Aeroporto de Chapecó | aumento de capacidade da aeronave

Veja também:

Silvio Costa Filho discute investimentos na Infraero

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp