Fim das faixas salariais de PMs e bombeiros na reta final após mais de 60 dias

Plenário da Alepe deve votar na tarde desta terça-feira o projeto que extingue as faixas salariais foto Robertos Soares Alepe

O dia será longo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Após mais de 60 dias, o projeto do Governo do Estado que extingue as faixas salariais para policiais militares e bombeiros até 2026 e concede reajuste escalado para a tropa deve ser votado em plenário na tarde desta terça-feira (7).

Tanto Governo quanto oposição escondem as estratégias para conquistar a vitória na votação em plenário. De acordo com o presidente da Constituição, Legislação e Justiça (CCLJ) da Alepe, Antônio Moraes, nem um dos dois lados possui os 25 votos necessários para conquistar a vitória. No entanto, ele acredita que o Governo contará com os votos dos deputados conscientes, que sabem que se a matéria não for aprovada, quem perde é a categoria dos policiais.

Antônio Moraes acredita nenhum dos lados tem os 25 votos necessários Foto Jarbas Araújo Alepe

Mas o dia começa pela própria CCLJ, onde será analisado o substitutivo da deputada Socorro Pimentel. O teor da peça é praticamente o mesmo do projeto inicial, com o acréscimo de duas emendas que não alteram o conteúdo original. A oposição vai tentar derrubar essa proposta ainda na comissão. Se conseguir, vai para o plenário a proposta que propõe o fim das faixas com um ano de antecedência, ou seja, 2025.

Para pressionar os deputados governistas, os oposicionistas fazem, desde a semana passada uma convocação para que os policiais e bombeiros ocupem a galeria do plenário, na tarde desta terça-feira. As entidades representantes das forças de segurança também estão mobilizando os seus associados para que vão acompanhar a votação na Alepe.

25 votos para aprovar fim das faixas

Os dois lados, governo e oposição, vão trabalhar para conquistar o mínimo necessário para conquistar a vitória, que são os votos de 25 deputados. Apesar da declaração de Moraes, integrantes da base governista acreditam que o seu lado já tenha os 25 votos necessários e que esse número pode chegar a 30 votos.

Só no final do dia será possível saber que lado venceu. Ou se os dois perderam, por não conseguirem os 25 votos. Nesse caso, a proposta é arquivada e só poderá voltar na próxima legislatura, ou seja, a partir de 2027. A menos que o Parlamento consiga reunir 25 assinaturas para reabrir a apreciação do projeto.

Veja também:

Raquel diz contar com a compreensão dos deputados para aprovar projeto original das faixas salariais

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp