A requalificação de um dos mais emblemáticos espaços de comércio popular do Recife segue avançando. As obras de reestruturação do Calçadão dos Mascates – popularmente conhecido como Camelódromo – na Avenida Dantas Barreto, no bairro de São José, têm previsão de conclusão para dezembro deste ano. Toda a estrutura do equipamento está sendo recuperada, numa obra que tem custo de R$ 6,2 milhões. O prefeito do Recife, João Campos, vistoriou as obras na manhã deste sábado (22).

“Essa ação fortalece o centro da cidade, fortalece o plano do Programa Recentro e a economia de maneira geral. A economia do Recife tem uma história afetiva, uma ligação com o centro da cidade. A gente fazendo essa obra também está ajudando com a recuperação da pujança do centro do Recife”, declarou João Campos.

Os serviços incluem restauro da estrutura e individualização da rede elétrica. Estão sendo realizados, a concretagem do pavimento interno, substituição das redes elétrica e hidráulica, recuperação estrutural de concreto e das estruturas de ferro, substituição das cobertas e calhas, pintura e recuperação dos banheiros. A intervenção faz parte da política de recuperação do Centro do Recife, que também prevê um novo plano de circulação viária, com protagonismo da Avenida Dantas Barreto.

Segundo Gabriel Leitão, presidente do CONVIVA Mercados e Feiras Autarquia Municipal, o trabalho está avançando.

“As intervenções estão avançando e vão deixar esse espaço, que tem um valor histórico gigante para a cidade, de cara nova tanto para quem trabalha e gera a sua renda quanto para quem frequenta aqui”, destacou Gabriel Leitão.

De acordo com a autônoma Simone Ferreira, 43 anos, a obra do camelódromo é uma necessidade dos recifenses que está sendo atendida devidamente.

“Eu frequento esse camelódromo há três anos, compro algumas mercadorias para revenda como relógios, bolsas e bijuterias. A pintura foi refeita, o telhado mudou totalmente, muita coisa já mudou. As ferragens estavam desgastadas e foram trocadas. Está bem mais protegido agora”, disse Simone.

Já Juraci Melo, 54 anos, trabalhou por mais de 20 anos no camelódromo e hoje ainda frequenta o local para acompanhar o trabalho da filha. “Havia muitas goteiras aqui, tinha ferrugens e priorizaram modificar isso na obra. Agora já está ótimo”, contou Juraci.

CAMELÓDROMO

 Concebido pelos arquitetos e urbanistas Ronaldo L’Amour e Zeca Brandão – foi inaugurado em 1994 como forma de organização de parte do comércio popular no Centro do Recife. A ideia foi ordenar os comerciantes em uma estrutura física única e que atribuísse um novo sentido à Avenida Dantas Barreto. São pouco mais de 1 mil boxes divididos em seis módulos.

Foto: Edson Holanda/Prefeitura do Recife

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp