Em Jaboatão, a disputa de discursos: um quer municipalizar, o outro federalizar o debate

Márcio Didier

Jaboatão dos Guararapes é uma cidade interessante. Em menos de 20 quilômetros que separam Piedade do centro antigo, o município vai de uma classe privilegiada à que não tem quase nada. Tanto que costumasse dizer que é três cidades em uma só, tamanha diversidade econômica e social entre as localidades. É neste cenário que se apresenta uma eleição interessante de se acompanhar. De um lado um prefeito que nunca foi testado nas urnas, Mano Medeiros, que vem surpreendendo pela movimentação e dedicação à gestão. Do outro, o ex-prefeito Elias Gomes, que aposta na força de Lula e do PT para tentar levar a disputa. No meio, uma série de nomes que podem ser fiéis da balança na disputa.

Eleito como vice na reeleição de Anderson Ferreira, Mano Medeiros assumiu o cargo no final de março de 2022, quando o titular renunciou para disputar o Governo do Estado. Já havia ocupado vários cargos públicos no Estado e no município, no primeiro mandato de Anderson. Começou a sua gestão sob a luz da incerteza. Prestes a completar dois anos no cargo, no entanto, vem conseguindo imprimir a sua marca na gestão, indo muito à rua e acompanhando de perto as ações da prefeitura. E é esse debate que pretende levar para a campanha deste ano, a do gestor está na ponta e debater a cidade, num comparativo de como o seu grupo político pegou o município e como ele está agora.

Se Mano aposta no debate municipalizado, Elias Gomes tem no presidente Lula um dos seus principais trunfos. Não que ele não vá para a discussão sobre o município. Mas ele ingressou no PT em setembro passado justamente para federalizar os embates na campanha, já que o atual prefeito é filiado ao PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro. O presidente Lula venceu nos dois turnos em 2022 em Jaboatão. O primeiro turno, teve 54,25%, contra 40,12% de Bolsonaro. No Segundo, teve 55,75%, contra 44,25%. E é nisso que Elias vem trabalhando nessa pré-campanha, colando seu nome a Lula e o de Mano ao bolsonarismo.

Outros atores

No meio dessa disputa, há alguns nomes que podem complicar a vida de ambos. Cotada como candidata do PP, a deputada federal Clarissa Tércio tem o seu eleitorado montado no segmento evangélico, mesma área de atuação da família Ferreira, que dá sustentação a Mano Medeiros. Nos bastidores, as informações dão conta de que Clarissa não estaria muito estimulada a entrar na disputa. No entanto, se ela entra vai embolar a relação de Mano com os evangélicos.

Segundo colocado na disputa passada com mais de 30% dos votos, o ex-vereador Daniel Alves também tem o nome colocado na disputa. Mantendo a candidatura, pode complicar um pouco Elias. Mas há quem diga que daí possa surgir uma união…

E é nesse cenário que Jaboatão dos Guararapes vive a pré-campanha, se preparando para uma disputa, no mínimo, interessante. Entre um prefeito que nunca enfrentou as urnas, mas que, ao assumir o comando da cidade, conseguiu implantar o seu modo de governar e fortaleceu o nome para a disputa e um ex-prefeito, que busca na força do presidente Lula a catapulta para tentar vencer a disputa. Aguardemos, pois, as cenas dos próximos capítulos.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp