Professores em greve da UFPE avaliam contraproposta do Governo Federal em assembleia esta sexta

A Assembleia Geral Extraordinária convocada pela Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para esta sexta-feira (24) será um divisor de águas para a greve deflagrada pela categoria em 22 de abril. Reunidos em formato multicampi e online, os professores da UFPE vão avaliar e decidir se aceitam a contraproposta feita pelo Governo Federal na semana passada.

De acordo com a convocação, a assembleia será realizada nos campi Recife (auditório do Centro de Ciências Sociais Aplicadas-CCSA) e Caruaru (auditório do Núcleo de Ciências da Vida, no Centro Acadêmico do Agreste-CAA). Professores do Centro Acadêmico de Vitória (CAV) terão transporte para o Recife. Haverá também, assim como a assembleia que decretou a greve, em 17 de abril, a opção de participação e votação online. A primeira chamada ocorre às 8h30 e a segunda, às 9h. A greve foi deflagrada em 22 de abril.

Na opinião da presidenta da Adufepe, Teresa Lopes, a decisão da categoria é soberana.

“Durante os últimos dias nós esclarecemos os principais pontos do que o Governo Federal ofereceu nas nossas redes sociais, em atividades externas e por meio de uma live. É importante que a presença nesta assembleia seja a mais representativa possível, porque é um momento decisivo para os docentes da UFPE”, destaca Teresa.

IMPASSE

O principal ponto de impasse entre governo e professores é a proposta de reajuste zero para 2024, que já foi rejeitada pela categoria em assembleia em 25 de abril.

“Esse reajuste zero é muito ruim. É verdade que outros avanços aconteceram, principalmente no que diz respeito à remuneração dos professores que estão entrando agora ou ainda vão entrar. Mas é muito pouco. Por isso, friso mais uma vez, a decisão sobre essa proposta é essencial para os rumos da greve, que entrou nesta quinta (23) em seu 31º dia”, salienta a presidenta da Adufepe.

Além do reajuste salarial, os professores reivindicam a recomposição do orçamento das instituições federais de ensino superior, o avanço nos pontos relacionados a carreira docente e a manutenção da permanência dos alunos no campus com qualidade.

Foto: Sidney B. Carneiro

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp