Diretor global da Jeep, Antônio Filosa vira cidadão pernambucano

Por indicação do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Álvaro Porto, a Alepe entregou, em sessão solene, nesta quinta-feira (29), o Título de Cidadão Pernambucano ao engenheiro italiano Antonio Filosa. Diretor Global da Jeep, nascido na região de Nápoles, Filosa escreveu uma história de sucesso na América Latina, comandando, inicialmente, a FCA (Fiat Chrysler), e depois, a Stellantis América do Sul, composta pela junção da Fiat, Jeep, Peugeot, Citroën, Ram e Abarth.

Em Pernambuco, Filosa escreveu um capítulo vitorioso desta trajetória.

Desde o início da instalação da fábrica da Jeep em Goiana, atuou no planejamento, execução de projetos, atração de fabricantes de componentes e sistemas para o parque de fornecedores.

Comandada por Álvaro Porto, a cerimônia foi prestigiada pelo prefeito do Recife, João Campos, e pelos deputados estaduais Luciano Duque, que fez saudação ao homenageado, João de Nadegi, Diogo Morais, Henrique Queiroz Filho, Sileno Guedes, Antônio Morais, Rodrigo Farias e José Patriota. A governadora Raquel Lyra foi representada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Guilherme Cavalcante.

Concepção inovadora

No seu discurso, o presidente da Alepe lembrou que o trabalho de Filosa resultou, inicialmente, na instalação de 16 empresas no perímetro industrial do polo de Goiana, revelando uma concepção inovadora de integrar fornecedores e fabricante, gerando eficiência logística e industrial para o processo produtivo.

“A atração de fornecedores para o entorno do polo, é importante ressaltar, continua a ser um objetivo estratégico da Stellantis. Ou seja, a atuação do executivo em Goiana gerou divisas, emprego, renda e desenvolvimento para o Estado”, disse Álvaro Porto.

Duque, por sua vez, afirmou que, quando recebe as oportunidades certas Pernambuco faz a diferença.

“Não à toa, o parque fabril aqui de Goiana deu tão certo. Somos um estado revolucionário, que lutamos bravamente em busca da nossa liberdade e por justiça ao longo da nossa história. Não me acanho em dizer, Filosa, que de todas as missões que você já recebeu, essa de ser um cidadão pernambucano, talvez, seja a mais difícil. Somos um povo muito orgulhoso, e veja só: sentimos orgulho de ser orgulhoso”, brincou Luciano Duque, numa referência à mania de grandeza dos pernambucanos.

Divisor de água

O prefeito do Recife enfatizou que a reindustrialização do estado, sonho do ex-governador Eduardo Campos (seu pai) e do presidente Lula virou realidade com a fábrica de Goiana e se tornou um divisor de águas na história de Pernambuco.

“Se olharmos a pauta de exportação há mais de dez anos, o principal item da nossa balança comercial eram derivados da indústria da cana. Quando se olha hoje a participação da indústria automotiva no pódio, se vê como é impressionante, em menos de uma década, mudar a matriz econômica de um local com decisões políticas acertadas”, disse João Campos.

João Campos lembrou ainda da importância do empenho do ex-governador pela instalação, no polo de Goiana, do centro de desenvolvimento de tecnologia.

“Ele sabia que a partir do momento em que tivessem 500 engenheiros empregados, desenvolvendo tecnologia aqui, nunca mais perderíamos a fábrica, porque aqui a gente estaria desenvolvendo a capacidade criativa, construtiva e de conhecimento”.

Para o prefeito, a retomada da reindustrialização do estado e do Nordeste é fundamental e, segundo ele, Filosa agora vai “jogar no time” de Pernambuco.

Disputa

Último a falar, o novo cidadão pernambucano lembrou que a fábrica da Jeep foi disputada por muitos o países, alguns até mais competitivos em termos de custo e investimento que o Brasil. No entanto, disse, Pernambuco ganhou porque o presidente Lula e o ex-governador Eduardo Campos estavam à frente do projeto e “porque os pernambucanos e pernambucanas fizeram esta vitória acontecer”.

Filosa destacou ainda a grandiosidade e excelência da unidade de Goiana.

“A Stellantis tem 105 fábricas em todo mundo, mas esta fábrica dá exemplo de produtividade, de eficiência operacional, de industrialização, de tecnologia e inovação”, frisou Filosa, lembrando que todos os modelos produzidos em Pernambuco são líderes de vendas nas suas categorias.

Filosa agradeceu a honraria e dedicou o título aos 15 mil trabalhadores e trabalhadoras da Jeep, em Goiana. Agradeceu ainda à classe política nordestina e, especialmente de Pernambuco, pela luta contínua pela realização e manutenção do sonho.

“Todo mundo está de olho na Jeep, todo mundo quer esta fábrica em outro país, mas a fábrica fica aqui. Porque é aqui que a gente quer estar, é aqui que vamos continuar desenvolvendo esta terra que agora é minha nação”, arrematou.

Foto: Lucas Patrício

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp