Álvaro Porto anuncia comissão de deputados para intermediar negociações entre Sinpol e Estado

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Álvaro Porto, recebeu, nesta segunda-feira (19), juntamente com comissão de parlamentares, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), Áureo Cisneiros, e dirigentes de outras entidades ligadas à segurança pública para tratar de pleitos da categoria e dar início ao processo de intermediação junto ao Governo do Estado. Nesta terça-feira (20), às 10h, uma comissão formada pelos deputados Joel da Harpa, Gleyde Ângelo, Mario Ricardo, Renato Antunes e Eriberto Filho será recebida, no Palácio do Campos das Princesas, por representantes do Executivo para apresentar e defender a pauta de reivindicações dos policiais.

Entre outros pontos, os profissional pedem melhorias na estrutura dos equipamentos de trabalho e atualização do Plano de Cargos e Carreiras. De acordo com Porto, a expectativa é que a partir do encontro desta terça, o governo defina uma data para receber os dirigentes do Sinpol e, assim, instale uma mesa de negociação com a categoria e apresente suas propostas.

“No que depender da Casa, vamos lutar por isso (pela negociação e o entendimento). Esta não é só uma luta dos policiais, é de todos os pernambucanos. A partir do momento em que se melhora a segurança, melhora a vida de todo mundo, não só dos policiais. Mas é importante ter estrutura física e também (ser considerada) a questão dos salários”, destacou Álavro Porto.

Sensibilidade

De acordo com o deputado, é preciso se sentar e negociar sem que se cogite greve, o que, segundo ele, não é interessante para ninguém e só deixa a população em pânico. “Então, é importante ter a sensibilidade do governo”, afirmou. Há cerca de dez dias, às vésperas do Carnaval, a paralisação que vinha sendo anunciada pela Polícia Civil acabou suspensa por conta da interveniência de Porto, que colocou a Alepe à disposição para fazer a intermediação com o Governo do Estado.

De acordo com Áureo Cisneiros, o que a categoria quer é contribuir para que o Juntos pela Segurança dê certo.

“Ninguém torce pelo quanto pior, melhor. Por isso estamos aqui, para reestruturar e fortalecer a Polícia Civil, que é a polícia de investigação do nosso Estado”, enfatizou Áureo Cisneiros.

Reestruturação

O presidente do Sinpol observou que a reestruturação das delegacias e equipamentos que respaldam a rede de atuação da Polícia Civil, principalmente da Polícia Científica, é algo urgente, principalmente para assegurar condições adequadas de trabalho e o devido atendimento à população.

Ele explicou ainda que é imprescindível atualizar o Plano de Cargos e Carreiras e rever do concurso público já lançado pelo Estado. O Sinpol calcula que o atual déficit de pessoal chega a mais de 6 mil policiais e entende ser fundamental que sejam abertas pelo menos 2 mil novas vagas. Atualmente, o edital publicado pelo Estado contempla a contratação de um contigente de apenas 445 profissionais.

Além de Cisneiros, participaram do encontro Nilson Alves de Oliveira, presidente da Associação dos Peritos Papiloscopistas de Pernambuco; Marcelo Almeida, presidente da União dos Escrivães de Polícia do Estado de Pernambuco; Marcos Rodrigues, diretor da Associação Nacional dos Escrivães de Polícia; Enoque José Santos, vice-presidente do Sindicato da Polícia Científica; Diogo Victor, presidente da Associação dos Delegados de Pernambuco, além de outros representantes.

Foto: Lucas Patrício

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp