“A governadora precisa fazer política. É onde está pecando”, avalia Antônio Moraes

Voz mansa, cordato e de bom trânsito entre os seus pares na Assembleia Legislativa. O deputado estadual Antônio Moraes é o principal refúgio da governadora Raquel Lyra no Legislativo estadual. Comandando a principal comissão da Casa de Joaquim Nabuco, a de Constituição Legislação e Justiça, Antônio Moraes, não só busca equilibrar a balança na CCLJ, como sobe à tribuna para defender a governadora dos ataques da oposição, tanto que é chamado de líder informal do Governo.

“O líder de Governo é Isaías, que tem feito um bom trabalho aqui na Casa. Eu tenho uma comissão que já me dava um trabalho enorme. Agora eu acredito muito e respeito a forma de governar da governadora. Eu acho que é uma coisa que ninguém vai mudar. É dela e a gente vai ter que entender um pouco aí é a forma que ela tem de gerir o Estado. Acredito muito que ela vai fazer um grande governo. Entendo também que ela precisa fazer política. E aí talvez seja onde ela tá pecando. Ela podia fazer tudo que tá sendo feito. Quer dizer, a gente sabe que hoje o fato de não ter nenhum deputado como secretário, de não haver uma participação política maior no governo dela, isso trouxe uma antipatia muito grande da classe política, mas isso ainda há tempo para corrigir”, avaliou Antônio Moraes.

Exercendo o sétimo mandato na Alepe, Moraes disse acreditar que ela irá resgatar coisas importantes para o Estado. Deu como exemplo uma conversa com dois empresários e trataram a questão das estradas e da saúde pública, em que, nas palavras dele, “são duas áreas que vivem um pandemônio e que necessitam de muitos investimentos”.

“Governadora recebeu talvez um dos piores orçamentos já recebidos na história de orçamentária de Pernambuco. E aí eu não quero aqui, culpar ninguém, mas quando Bolsonaro fez aquela lei que retirou ICMS de telecomunicações, de combustível e de energia ele deu prejuízo ao estado de Pernambuco de R$ 3 bilhões. Então isso totalmente perdeu 2023, a gente ficou sem nenhuma capacidade de investimento. Ai a governadora pagou um preço alto, porque não pôde dar aumento a ninguém”, avaliou Moraes.

Acrescentou que apesar de o Estado, em 2024 não puder captar novos empréstimos, tem o benefício da captação de R$ 4 bilhões no ano passa e o aumento da alíquota do ICMS de 18% para 20,5%.

“A história agora é diferente. O estado tá reequilibrado, vai ter um dos melhores orçamentos que Pernambuco já teve para investimento. Tem mais de R$ 7 bilhões aí se você colocar educação, empréstimos que foram feitos… então, a gente vai ter uma capacidade de investimento muito grande e eu acredito que a governadora vai começar a atender também as categorias é a partir agora de 2024, mas 2023 foi um ano perdido, um ano muito ruim para Pernambuco. Não é ruim para governadora, não é ruim para os funcionários públicos, foi ruim para todos no estado como um todo”, afirmou o deputado.

Delegado de polícia aposentado, o deputado não acredita que as mudanças nos comandos das polícias Militar e Civil, apesar da proximidade do Carnaval, vá trazer prejuízo para a segurança da maior festa do Estado. Apesar de acreditar que a mudança poderia ter ocorrido quando o atual secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, tomou posse em setembro.

“Tanto a Polícia Militar, quando a Polícia Civil elas são extremamente profissionais hoje. Nenhum comandante que assumir vai nessa semana mexer com a estrutura das duas polícias. O esquema está preparado há mais de um mês, dois meses. Então tudo que tava planejado vai acontecer e não vai ter aí nenhuma descontinuidade na questão da aplicação do esquema de segurança do carnaval”, avaliou.

O parlamentar, no entanto, manda um recado para quem torce para que as coisas saiam errado no Carnaval.

“(O fato de a mudança) Ficar muito próxima do carnaval é que tá sendo utilizado e até alguns torcendo para que dê errado, mas a gente sabe se der errado, vai dar para a população toda, para quem vai se expor e brincar aí na rua. Vou brincar e acredito que a gente vai ter um grande Carnaval e também que a polícia vai corresponder não à confiança da governadora, mas corresponder a confiança da população Pernambucana”, finalizou Antônio Moraes.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SOBRE O EDITOR
Márcio Didier

Márcio Didier é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, com passagens pelo Jornal do Comércio, Blog da Folha e assessoria de comunicação

ANUNCIE AQUI
Galeria de Imagens
Mande sua pauta e se cadastre
Enviar via WhatsApp